quinta-feira, 16 de dezembro de 2010







"A prova de que estou recuperando a saúde mental, é que estou cada minuto mais permissiva: eu me permito mais liberdade e mais experiências. E aceito o acaso. Anseio pelo que ainda não experimentei. Maior espaço psíquico. Estou felizmente mais doida."

[Clarice Lispector]

quarta-feira, 8 de dezembro de 2010





"De que adianta falar de motivos, às vezes basta um só, às vezes nem juntando todos."

[José Saramago]

terça-feira, 7 de dezembro de 2010

"..Mas também acho que aquilo que é bom, e de verdade, e forte, e importante – coisa ou pessoa – na sua vida, isso não se perde. E aí lembro de Guimarães Rosa, quando dizia que “o que tem de ser tem muita força”. A gente não tem é que se assustar com as distâncias e os afastamentos que pintam. Mas, vantagens? Ah, isso também tem. A melhor delas é conhecer gente. Não tem coisa melhor (nem pior) do que gente.."

[Caio Fernando Abreu]

sexta-feira, 12 de novembro de 2010

"Não quero viver como uma planta que engasga e não diz a sua flor. Como um pássaro que mantém os pés atados a um visgo imaginário. Como um texto que tece centenas de parágrafos sem dar o recado pretendido. Que eu saiba fazer os meus sonhos frutificarem a sua música. Que eu não me especialize em desculpas que me desviem dos meus prazeres. Que eu consiga derreter as grades de cera que me afastam da minha vontade. Que a cada manhã, ao acordar, eu desperte um pouco mais para o que verdadeiramente me interessa."

[Ana Jácomo]

quarta-feira, 27 de outubro de 2010

Se foi uma praga, obteve êxito. Ninguém ao longo dos anos me amou mais, nem melhor que você.
Às vezes o amor, esse multifacetado desconhecido, num momento de cor, parece arrebatar-me a ponto de me bastar, mas resta o momento seguinte que é sempre negação, nunca deleite, pra me lembrar do amor que tive e nunca permiti.
Resta o amargo no fundo do copo e o descaso da manhã seguinte insistindo em ser dia e não noite, como queria meu peito. Sobra sempre o desejo de ter sido maior e que pelo físico, juventude, física e outros tantos motivos estúpidos, não fui. Algo como um arrependimento incerto por saber de si, mas não saber ao certo dos métodos contraceptivos que evitariam sua concepção malquista, é o souvenir herdado desse amor que cansou de sua (minha?) inconstância e resolveu por bem abster-se de ser. Embora eu saiba enumerar os erros e os inconvenientes todos e deles não me esquive ou perdoe, eu nada pude fazer para mascarar os sintomas do meu despreparo em saber receber o que a mim fora ofertado sem pudor ou recato – regalo maior do que soube merecer. Existem coisas pelas quais não se pede perdão, pois se sabe que não se perdoam de fato. Disso me conformo e carrego o fardo. Falta palavra que apague o passado, termo qualquer que feito paulada, providencie amnésia instantânea capaz de apagar os vestígios do estrago e faça com que tudo retorne ao seu status quo ante. Haja Cointreau pra digerir tudo isso, para que de tempos em tempos não se rumine essa perda.

[Aline Nunes]

segunda-feira, 11 de outubro de 2010

"Sumi porque só faço besteira em sua presença, fico mudo
quando deveria verbalizar, digo um absurdo atrás do outro quando
melhor seria silenciar, faço brincadeiras de mau gosto e sofro
antes, durante e depois de te encontrar.
Sumi porque não há futuro e isso não é o mais difícil de
lidar, pior é não ter presente e o passado ser mais fluido que o ar.
Sumi porque não há o que se possa resgatar, meu sumiço é
covarde mas atento, meio fajuto meio autêntico, sumi porque
sumir é um jogo de paciência, ausentar-se é risco e sapiência,
pareço desinteressado, mas sumi para estar para sempre do seu
lado, a saudade fará mais por nós dois que nosso amor e sua
desajeitada e irrefletida permanência."

[Martha Medeiros]

quarta-feira, 29 de setembro de 2010


"..Resta esse constante esforço para caminhar dentro do labirinto
Esse eterno levantar-se depois de cada queda
Essa busca de equilíbrio no fio da navalha
Essa terrível coragem diante do grande medo, e esse medo
infantil de ter pequenas coragens."

[Vinicius de Moraes]

terça-feira, 28 de setembro de 2010



"..É a lágrima em seu trajeto
Que zelosa evita o lábio
Para não salgar o beijo.."

[Lenine]

sexta-feira, 24 de setembro de 2010

"..No vácuo de mim eu me despenco. Porque seria preciso também abdicar de mim mesmo para novamente reconstruir-me. Tornar a escolher os gestos, as palavras, em cada momento decidir qual dos meus eus assumir (...) Não quero. Não posso restar nu, despojado de mim mesmo. Não posso recomeçar porque tudo soaria falso e inútil. As minhas verdades me bastam, mesmo sendo mentiras. Não é mais tempo de reconstruir.
Em luta, meus ser se parte em dois. Um que foge, outro que aceita. O que aceita diz: não. Eu não quero pensar no que virá: quero pensar no que é. Agora. No que está sendo. Porque pensar no que ainda não veio é fugir, buscar apoio em coisas externas a mim, de cuja a existência não posso duvidar porque não a conheço. Pensar no que está sendo, ou antes, não, não pensar, mas enfrentar e penetrar no que está sendo é coragem. Pensar é fuga: aprender subjetivamente a realidade de maneira a não assustar. Entrar nela significa viver.
Sôfrego, torno a anexar a mim esse monólogo rebelde, essa aceitação ingênua de quem não sabe que viver é, constantemente, construir, não derrubar. De quem não sabe que esse prolongado construir implica em erros, e saber viver implica em não valorizar esses erros, ou suavizá-los, distorcê-los ou mesmo eliminá-los para que o restante da construção não seja abalado. Basta uma pausa, um pensamento mais prolongado para que tudo caia por terra. Recomeçar é doloroso. Faz-se necessário investigar novas verdades, adequar novos valores e conceitos. Não cabe reconstruir duas vezes a mesma vida numa única existência.."

[Caio Fernando Abreu]

quinta-feira, 23 de setembro de 2010

A razão porque mando um sorriso
E não corro
É que andei levando a vida
Quase morto

Quero fechar a ferida
Quero estancar o sangue
E sepultar bem longe
O que restou da camisa
Colorida que cobria minha dor
Meu amor eu não esqueço
Não se esqueça por favor

Que voltarei depressa
Tão logo a noite acabe
Tão logo este tempo passe
Para beijar você


[Para um amor no Recife - Paulinho da Viola por Marina Lima]

segunda-feira, 20 de setembro de 2010

"..Hey Mrs. Blue
Time to think of something new
The Possum's spinning our hips
The old soft shoe
And if you wanna lose the rest of the night
There's nothing better I have to do
And if I tell you something
You won't have to ask if it's true
And we'll forget about our problems
Ignore them for a little while
And leave our worries in the corner
Leave them in a big big pile
Pretend everything can be alright.."



[Yo la tengo]

sexta-feira, 17 de setembro de 2010

Por que eu inda quisera poder acender teus cigarros e dialogar leve, ser convidada a ir de braços dados contigo num passeio pelo teu mundo. Me foi tirado o hábito de te estudar, de entender teus processos, métodos, conduta, essência e geografia. Eu me abstive de arrancar a última pétala da única flor que restou no jardim, pois que calhava de ser mal-me-quer e achei preferível mantê-la ali, pela escassez de outros exemplares ou talvez por respeito à idade da flor, que conheceu e participou de tantas primaveras e resistiu por bravura ou sorte a este último outono. Achei meritório e de muito bom grado, não mais dilapidar-lhe a beleza. Terminei anteontem uma espécie de estufa, e lá ela jaz conservada, e não sei se por saudade ou estima, se faz cada dia mais bela, se regenera e volta e meia vai ganhando pétalas de bem-te-quero.

[Aline Nunes]

quarta-feira, 15 de setembro de 2010



"..Faço menos planos e cultivo menos recordações.
Não guardo muitos papéis, nem adianto muito o serviço.
Movimento-me num espaço cujo tamanho me serve, alcanço
seus limites com as mãos, é nele que me instalo e vivo com
a integridade possível. Canso menos, me divirto mais, e não
perco a fé por constatar o óbvio: tudo é provisório, inclusive nós.."

[Martha Medeiros]

domingo, 12 de setembro de 2010


"..Sempre tenho a estranha sensação, embora tudo tenha mudado e eu esteja muito bem agora, de que este dia ainda continua o mesmo, como um relógio enguiçado preso no mesmo momento – aquele.."


[Caio F. Abreu]

quinta-feira, 9 de setembro de 2010



"Divida essa sua juventude estúpida com a gatinha ali do lado, meu bem. Eu vou embora sozinha. Eu tenho um sonho, eu tenho um destino, e se bater o carro e arrebentar a cara toda saindo daqui, continua tudo certo. Fora da roda, montada na minha loucura."

[Caio Fernando Abreu]

quarta-feira, 8 de setembro de 2010








"Amar é ter um pássaro pousado no dedo.
Quem tem um pássaro pousado no dedo sabe que, a qualquer momento, ele pode voar. "

[Rubem Alves]

quinta-feira, 2 de setembro de 2010



"..Seria isso, então? você só consegue dar quando não é solicitado, e quando pedem algo você foge em desespero. Como se tivesse medo de ficar mais pobre, medo de que se alcance seu centro e nesse centro exista alguma coisa que você não quer mostrar nem dar ou dividir. Contido, dissimulado, você esconde essa coisa, será assim?.."

[Caio Fernando Abreu]

segunda-feira, 23 de agosto de 2010

"..Procuro nos búzios e no horóscopo o resto da minha dignidade. Tento ser mais cética, mais durona, mas sou totalmente tendenciosa quando alguma coisa diz que eu posso ser feliz. É sempre mais fácil culpar o autosabotamento com signos do zodíaco ou algo que se preze, do que entender que você, independente de onde marte esteja neste exato momento, gosta de arrancar as próprias penas apenas para ver aonde dói.
Gosta de se cutucar para ver aonde sangra, aonde incomoda, que parte do seu corpo sente mais falta dele, em que momento do dia você perde a razão, fica sem ar, o porquê grita tanto internamente ao ponto que se deita exausta de tanta coisa que é sua, mas que você não sabe lidar, e por isso é fácil apelar para o impalpável e para todas as superstições existentes para que tirem a culpa que você carrega de querer tanto ser como os outros, mas não é.
O amor que tanto se proclama, dessa busca e espera infindável, "que chegue e será bem vindo, que será esperado" que some em alguns meses, que se sobrepõe na esquina por um outro qualquer, por essa falta, esse buraco no estômago, essa fome de se sentir amado, de se sentir querido, de se sentir seguro, quando amor é nada além da sensação de estar caindo e não saber onde se segurar.
E por isso eu culpo toda e qualquer manifestação esotérica, pelo meu amor volúvel que vai para qualquer pessoa que me desperte algo que valha terminar o dia, e sendo assim é mais fácil despejar em alguma coisa impalpável a minha incapacibilidade de ser como o resto das pessoas.
Porque eu nunca tive motivos para acreditar em nada que dure para sempre. Porque eu sempre fui tocada pelas mais diferentes formas de vida e por qualquer frase um pouco mais inteligente, porque dói entender que a posição da lua não interfere no quanto eu morro um pouco todos os dias. Porque eu acredito em tudo e isso de não descartar nada, me faz voltar para casa depois de me apaixonar a cada esquina, e querer uma cama só.
Eu me machuco pra saber onde dói, mas hoje sei exatamente que parte de mim sente mais falta dele. Tudo."


[Gustave Flaubert - Madame Bovary ]

sábado, 21 de agosto de 2010




"Se tiver aprendido lições (amor é pedagógico?), até aproveito e não faço tanta besteira. Mas acho que amor não é cursinho pré-vestibular. Ninguém encontra seu nome no listão dos aprovados. A gente só fica assim. Parado olhando a medida do Bonfim no pulso esquerdo, lado do coração e pensando, pois é, vejam só, não me valeu."

[Caio Fernando Abreu]

quarta-feira, 18 de agosto de 2010

“Às vezes é preciso recolher-se. O coração não quer obedecer, mas alguma vez aquieta; a ansiedade tem pés ligeiros, mas alguma vez resolve sentar-se à beira dessas águas. Ficamos sem falar, sem pensar, sem agir. É um começo de sabedoria, e dói. Dói controlar o pensamento, dói abafar o sentimento, além de ser doloroso parece pobre, triste e sem sentido. Amar era tão infinitamente melhor; curtir quem hoje se ausenta era tão imensamente mais rico. Não queremos escutar essa lição da vida, amadurecer parece algo sombrio, definitivo e assustador. Mas às vezes aquietar-se e esperar que o amor do outro nos descubra nesta praia isolada é só o que nos resta. Entramos no casulo fabricado com tanta dificuldade, e ficamos quase sem sonhar. Quem nos vê nos julga alheados, quem já não nos escuta pensa que emudecemos para sempre, e a gente mesmo às vezes desconfia de que nunca mais será capaz de nada claro, alegre, feliz. Mas quem nos amou, se talvez nos amar ainda há de saber que se nossa essência é ambigüidade e mutação, este silencio é tanto uma máscara quanto foram, quem sabe, um dia os seus acenos”.

[Lya Luft]

terça-feira, 17 de agosto de 2010








"Amar não é aceitar tudo. Aliás, onde tudo é aceito, desconfio que há falta de amor."

[Vladimir Maiakovski]

segunda-feira, 16 de agosto de 2010




"..Tenho tentado aprender a ser humilde. A engolir os nãos que a vida me enfia pela goela abaixo. A lamber o chão dos palácios. A me sentir desprezado-como-um-cão, e tudo bem, acordar, escovar os dentes, tomar um café e continuar..”

[Caio Fernando Abreu]

sexta-feira, 13 de agosto de 2010





"..Tinha vantagens não saber do inconsciente, vinha tudo de fora, maus pensamentos, tentações, desejos. Contudo, ficar sabendo foi melhor, estou mais densa, tenho âncora, paro em pé por mais tempo. De vez em quando ainda fico oca, o corpo hostil e Deus bravo. Passa logo. Como um pato sabe nadar sem saber, sei sabendo que, se for preciso, na hora H nado com desenvoltura. Guardo sabedorias no almoxarifado.."

[Adélia Prado]

domingo, 8 de agosto de 2010

sexta-feira, 30 de julho de 2010


"Que verso me traria você
De onde for?
Estilo caudaloso,
Barroco, conservador?
Ou tipo nunca visto
Inaugurador?
(...)
Popular
Amador
Pragmático
Verso pra te trazer
Pros meus braços
Um verso seqüestrador"

[Calcanhotto]



"..toda a minha saudade e o amor de sempre.." [C.F.A.]

quinta-feira, 29 de julho de 2010


"..Costumo acreditar que, em grande parte das circunstâncias, por mais incrível que às vezes pareça, o outro está fazendo o melhor que pode e se não faz mais é porque, embora queira, ainda não consegue. Acredito nisso porque costumo lembrar que, em grande parte das circunstâncias, por mais incrível que às vezes pareça, faço o melhor que posso e se não faço mais é porque, embora eu queira, ainda não consigo.."


[Ana Jácomo]

quarta-feira, 28 de julho de 2010




"(...)e vou dizendo lento, como quem tem medo de quebrar a rija perfeição das coisas, e vou dizendo leve, então, no teu ouvido duro, na tua alma fria, e vou dizendo louco, e vou dizendo longo sem pausa — gosto muito de você gosto muito de você gosto muito de você."

[Caio F. Abreu]

sexta-feira, 23 de julho de 2010





"..Num deserto de almas também desertas, uma alma especial reconhece de imediato a outra.."


[Aqueles Dois - Caio Fernando Abreu]

quinta-feira, 22 de julho de 2010





"Estas são as mudanças da alma. Eu não acredito em envelhecimento. Eu acredito em alterar para sempre o aspecto de alguém para a luz. Eis meu otimismo."


[Virginia Woolf]

quarta-feira, 21 de julho de 2010


Há coisas que a minha alma, já mortificada não admite:
assistir novelas de TV
ouvir música Pop
um filme apenas de corridas de automóvel
uma corrida de automóvel num filme
um livro de páginas ligadas
porque, sendo bom, a gente abre sofregamente a dedo:
espátulas não há… e quem é que hoje faz questão de virgindades…
E quando minha alma estraçalhada a todo instante pelos telefones
fugir desesperada
me deixará aqui,
ouvindo o que todos ouvem, bebendo o que todos bebem,
comendo o que todos comem.
A estes, a falta de alma não incomoda. (Desconfio até
que minha pobre alma fora destinada ao habitante de outro mundo).
E ligarei o rádio a todo o volume,
gritarei como um possesso nas partidas de futebol,
seguirei, irresistivelmente, o desfilar das grandes paradas do Exército.
E apenas sentirei, uma vez que outra,
a vaga nostalgia de não sei que mundo perdido…


[Quintana]

terça-feira, 20 de julho de 2010





"Tenho amigos tão bonitos. Ninguém suspeita, mas sou uma pessoa muito rica."

[Caio Fernando Abreu]

segunda-feira, 19 de julho de 2010




"..Me pergunto sempre se você não teceu em volta de mim uma porção de coisas irreais - se você não está projetando em mim qualquer coisa como um príncipe encantado - esperando a minha volta como quem espera a salvação.."


[Caio Fernando Abreu]

sexta-feira, 16 de julho de 2010








"Não me mande coisas assim raivosas. Eu não tenho anticorpos para esse tipo de coisa."


[Caio Fernando Abreu]

quarta-feira, 14 de julho de 2010










"Tudo é precioso para aquele que foi, por muito tempo, privado de tudo."

[Nietzsche]

segunda-feira, 5 de julho de 2010




"..Sou fiel porque ela confia em mim, sou bom porque ela acredita em mim. Quando estou com ela, lamento tudo o que você me
ensinou. Torno-me diferente daquele que você conheceu. Modifiquei-me, e o
simples toque da mão de Sibyl Vane faz-me esquecer de você e de todas as
suas erradas, e fascinantes, e venenosas, e deliciosas teorias.."

[Oscar Wilde em O Retrato de Dorian Gray]

terça-feira, 29 de junho de 2010



"Perdi alguma coisa que me era essencial, e que já não me é mais. Não me é necessária, assim como se eu tivesse perdido uma terceira perna que até então me impossibilitava de andar, mas que fazia de mim um tripé estável. Essa terceira perna eu perdi. E voltei a ser uma pessoa que nunca fui. Voltei a ter o que nunca tive: apenas as duas pernas. Sei que somente com duas pernas é que posso caminhar. Mas a ausência inútil da terceira me faz falta e me assusta, era ela que fazia de mim uma coisa encontrável por mim mesma, e sem sequer precisar me procurar."

[Clarice Lispector]

quarta-feira, 23 de junho de 2010

"..Como se eu estivesse fora do movimento da vida. A vida rolando por aí feito roda-gigante, com todo mundo dentro, e eu aqui parada, pateta, sentada no bar. Sem fazer nada, como se tivesse desaprendido a linguagem dos outros. A linguagem que eles usam pra se comunicar quando rodam assim e assim por diante nessa roda-gigante. Você tem um passe para a roda-gigante, uma senha, um código, sei lá. Você fala qualquer coisa tipo bá, por exemplo, então o cara deixa você entrar, sentar e rodar junto com os outros. Mas eu fico sempre do lado de fora. Aqui parada, sem saber a palavra certa, sem conseguir adivinhar. Olhando de fora, a cara cheia, louca de vontade de estar lá, rodando junto com eles nessa roda idiota..”


[Caio F. Abreu]

terça-feira, 22 de junho de 2010




"e do outro lado, sempre alguém mais leve. olhando de cima, com as mãos na barra. sorriso no rosto. e você do lado oposto. afundado. sapatos sujos de terra. joelhos arranhados no chão. embaixo. sempre descido na outra extremidade do brinquedo. querendo saber o que carrega de tão pesado assim por dentro."

[Eduardo Baszczyn]

sexta-feira, 18 de junho de 2010




“Fico tão cansada às vezes, e digo para mim mesma que está errado, que não é assim, que não é este o tempo, que não é este o lugar, que não é esta a vida. {…} Claro, é preciso julgar a si próprio com o máximo de rigidez, mas não sei se você concorda, as coisas por natureza já são tão duras para mim que não me acho no direito de endurecê-las ainda mais“

[Caio Fernando Abreu]

quarta-feira, 16 de junho de 2010



"Iniciei mil vezes o diálogo. Não há jeito.
Tenho me fatigado tanto todos os dias vestindo, despindo e arrastando
amor, infância, sóis e sombras.."


[Hilda Hilst]

quarta-feira, 9 de junho de 2010


"..Não me macem, por amor de Deus!
Queriam-me casado, fútil, quotidiano e tributável?
Queriam-me o contrário disto, o contrário de qualquer coisa?
Se eu fôsse outra pessoa, fazia-lhes, a todos, a vontade.
Assim, como sou, tenham paciência!
Vão para o diabo sem mim,
Ou deixem-me ir sozinho para o diabo!
Para que havemos de ir juntos?.."


[Álvaro de Campos]

segunda-feira, 7 de junho de 2010






"..As pessoas falam coisas, e por trás do que falam há o que sentem, e por trás do que sentem, há o que são e nem sempre se mostra..”

[Caio Fernando Abreu]

sexta-feira, 28 de maio de 2010






“Sem pensar em mais nada, fecho os olhos para esquecer. Dorme, menino, repito no escuro, o sono também salva. Ou adia”.
[Caio Fernando Abreu]

quarta-feira, 19 de maio de 2010



"..e eu me parava a refletir - como era doce.
Era uma armadilha perigosa - ainda que não proposital - para a minha imaginação, para a minha delicadeza, talvez para a minha vaidade; para tudo que era mais sustentável em mim. A melhor maneira de descrever a situação é dizer que eu estava desprevenida.."

[Henry James - A volta do parafuso]

segunda-feira, 17 de maio de 2010

"Se não era amor, era da mesma família. Pois sobrou o que sobra dos corações abandonados. A carência. A saudade. A mágoa. Um quase desespero, uma espécie de avião em queda que a gente sabe que vai se estabilizar, só não se sabe se vai ser antes ou depois de se chocar contra o solo. Eu bati a 200 km por hora e estou voltando á pé pra casa, avariada. Eu sei,não precisa me dizer outra vez. Era uma diversão, uma paixonite, um jogo entre adultos. Talvez este seja o ponto. Talvez eu não seja adulta o suficiente para brincar tão longe do meu pátio, do meu quarto, das minhas bonecas. Onde é que eu estava com a cabeça, de acreditar em contos de fada, de achar que a gente muda o que sente, e que bastaria apertar um botão que as luzes apagariam e eu voltaria a minha vida satisfatória,sem seqüelas, sem registro de ocorrência? Eu não amei aquele cara. Eu tenho certeza que não. Eu amei a mim mesma naquela verdade inventada. Não era amor,era uma sorte. Não era amor, era uma travessura. Não era amor, eram dois travesseiros. Não era amor, eram dois celulares desligados. Não era amor, era de tarde. Não era amor, era inverno. Não era amor, era sem medo. Não era amor, era melhor.“



[Martha Medeiros]

sexta-feira, 14 de maio de 2010








"..So affections fade away,
or do adults just learn to play
the most ridiculous, repulsive games?.."


[The Shins - Turn on Me]

quarta-feira, 12 de maio de 2010





"..Depois de todas as tempestades e naufrágios, o que fica de mim em mim é cada vez mais essencial e verdadeiro.."

[Caio Fernando Abreu]

terça-feira, 11 de maio de 2010


"..Mas de tudo isso, me ficaram coisas tão boas... Uma lembrança boa de você, uma vontade de cuidar melhor de mim, de ser melhor para mim e para os outros. De não morrer, de não sufocar, de continuar sentindo encantamento por alguma outra pessoa que o futuro trará, porque sempre traz, e então não repetir nenhum comportamento.
Ser nova.."


[Caio Fernando Abreu]

segunda-feira, 10 de maio de 2010


As coisas que não conseguem ser
olvidadas continuam acontecendo.
Sentimo-las como da primeira vez,
sentimo-las fora do tempo,
nesse mundo do sempre onde as
datas não datam. Só no mundo do nunca
existem lápides… Que importa se –
depois de tudo – tenha “ela” partido,
casado, mudado, sumido, esquecido,
enganado, ou que quer que te haja
feito, em suma? Tiveste uma parte da
sua vida que foi só tua e, esta, ela
jamais a poderá passar de ti para ninguém.
Há bens inalienáveis, há certos momentos que,
ao contrário do que pensas,
fazem parte da tua vida presente
e não do teu passado. E abrem-se no teu
sorriso mesmo quando, deslembrado deles,
estiveres sorrindo a outras coisas.
Ah, nem queiras saber o quanto
deves à ingrata criatura…
A thing of beauty is a joy for ever
disse, há cento e muitos anos, um poeta
inglês que não conseguiu morrer.


[Mario Quintana]

quinta-feira, 6 de maio de 2010

"Enquanto isso, vá me estendendo a mão, que eu preciso dela. Se você não diz nada, é porque há muita coisa dentro de você. Eu gostaria que você confiasse um pouquinho mais em mim. É isso que eu chamo de jogo unilateral. Não pense que eu só ando atrás só de "belas coisas simples". Eu quero qualquer coisa, desconexa, contraditória, insegura, não tem importância, desde que seja sua. As definições redondas e grandiloquentes, as coisas categóricas e acabadas não me satisfazem, porque eu não sou assim.."

[Maury Gurgel à Clarice Lispector]